fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

BH ganha sala de teatro dedicada a monólogos

Por thiagofonseca*

17/05/2018 às 10:25

Publicidade - Portal UAI

É nítido o crescimento de monólogos nos últimos anos pelo Brasil afora. Da mesma forma, o cenário em Belo Horizonte não é diferente. Com o intuito de fomentar essa produção o Galpão Cine Horto inaugura nesta quinta-feira, dia 17, a Sala ‘Solo’. O espaço pioneiro na cidade pretende acolher e ajudar a dar corpo à produção de monólogos. A inauguração será com o espetáculo “Ciclos”, de Rita Maia sob a direção de Juliana Pautilla, do Grupo Teatro Invertido.

“Nossa iniciativa busca dar resposta e fomentar a forte onda de produção de monólogos. Dessa forma, adaptamos um espaço que já tínhamos. Colocamos iluminação, som, cadeiras e montamos a sala. Assim, esperamos fomentar as produções de artistas que não possuem espaços para o amadurecimento dos espetáculos. Ainda tentar dar uma resposta à crise cultural”, explica Chico Pelúcio, diretor do Galpão Cine Horto.

Segundo Pelúcio, muitos atores e atrizes viram no monólogo a oportunidade de chegar ao espectador, diante de várias limitações que nos têm sido impostas. “A primeira limitação vem da crise de financiamento e patrocínios para as montagens. Um outro aspecto é a urgência desses atores e atrizes de pesquisarem e falarem de temas próprios de sua existência artística, o que os trabalhos coletivos nem sempre dão conta de viabilizar. A saída é produzir monólogos”.

Sala Solo – Foto: Galpão Cine Horto

A sala

Idealizada dentro do conceito de teatro de bolso, a sala está em uma área adaptada no segundo andar do Galpão Cine Horto. Terá capacidade para 22 pessoas. As peças ocuparão horário fixo, no início da noite, 18h ou 19h, uma vez que, não impacta o funcionamento dos outros três espaços do Cine Horto. Antes mesmo de ser inaugurada, a sala está com agenda fechada até outubro.

A inciativa, ainda segundo Pelúcio, é uma conquista de persistência do Galpão Cine Horto de manter a porta aberta durante 20 anos. Além da inauguração do espaço, o Cine Horto conta com diversas atividades de fomento ao teatro e a cultura. Só em 2016 foram desenvolvidos no espaço 20 projetos.  Por exemplo, o Festival de Cenas Curtas. Uma novidade que vem junto com a inauguração da sala é a oficina “Dirigindo Monólogos”. Quem comandará as aulas é o o diretor carioca Daniel Herz, nos dias 26 e 27 de maio.

Com vinte vagas, o curso recebe inscrições para ouvintes ou participantes. A oficina pretende, através de exercícios, aprofundar a visão do ator sobre a cena não naturalista. O domínio do ritmo, o conhecimento da energia e o redimensionamento do espaço. Uma proposta, que de acordo com Pelúcio, faz parte da política do espaço de levar formação, conversa e processo colaborativo.

Programação

“Ciclos” abre as atividade da sala e por lá fica em cartaz de 17 de maio a 3 de junho, das quintas a sábado às 19h e domingo às 18h. Em junho o espaço ainda receberá três montagens: “A Mulher que Andava em Círculos”, do Grupo Mayombe, com direção de Sara Rojo e interpretação de Marina Viana, de 8 a 10. “Um Anjo Passando Aqui”, concebida e interpretada por Lenine Martins, de 14 a 24. Também “Prisioneiro 14/07”, com criação e atuação de Letícia Castilho, do dia 29 a 1° de julho.

 

photo

[Ponto de vista] ´Fauna´: teatro provocativo no melhor sentido

Foi um susto quando ainda no corredor do Teatro Wanda Fernandes do Galpão Cine Horto o ator e diretor Ítalo Laureano lembrou que o Grupo Quatroloscinco – Teatro do Comum inicia agora as comemorações de seus dez anos de carreira. Fauna, o espetáculo mais recente do repertório abre a série de atividades que inclui a […]

LEIA MAIS
photo

Com mais de 400 atrações, Festival de Curitiba começa com Grupo Corpo

Qual o papel que um festival de teatro desempenha hoje? A pergunta é uma das tantas que orienta o pensamento do diretor e dramaturbo Márcio Abreu desde que assumiu a curadoria do Festival de Teatro de Curitiba. A edição que começa nesta terça, 27 de março, e vai até 08 de abril é a terceira […]

LEIA MAIS
photo

‘Nu de botas’: encontro feliz entre a literatura e o teatro

É sempre uma sensação maravilhosa quando somos surpreendidos por uma peça de teatro. Não que antes não reconhecesse seu valor. Mas é diferente quando o espetáculo te pega de uma maneira que não supunha. Aconteceu comigo com Nu de botas, montagem em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil de BH até o dia 01 […]

LEIA MAIS